22º Bienal Internacional do Livro de São Paulo: Prepare-se!

| 2 comentários


Hoje, finalmente, começa um dos eventos mais aguarda pelos profissionais dos livros, entre eles editoras e autores, e por nos leitores, devoradores de livros assumidos e viciados, bibliófilos, bibliomaniacos, ratos de bibliotecas, bookaholics, bookworms, etc, a 22º Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Para a nossa alegria literária, é a oportunidade de se ver no meio de tantos livros, passear com amigos, ouvir debates sobre o tema, aproveitar comprinhas básicas, conhecer, puxar o saco, bajular, tirar foto e pegar seu autografo com aquele autor que você adora, caçar tudo quanto é tipo de marcadores de texto para sua coleção particular, reencontrar e conhecer outros viciados em livros e leituras e, ao fim, sair dando pulinhos como uma criança contente e muito, mas muito feliz, com muitos livros! Hahahah

Com o tema “Livros transformam o mundo, livros transformam pessoas”, o evento ocorre do dia 09 (hoje) até dia 19 de agosto, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na cidade de São Paulo, das 10 às 22h. Ou seja, dez dias para aproveita programação cultural dos organizados da Bienal e das editoras. O valor da entrada, para aqueles não conseguiram entradas gratuitas, é de 12 reais (inteira). 

A Bienal é promovido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e organização da Reed Exhibitions Alcantara Machado. Um eventos que abrangente, que mescla literatura, diversão, espaço para debates e infinitas atividades, que contarão com cerca de 480 expositores participantes, 346 nacionais e 134 internacionais, estes representados pela Alemanha, Suíça, França, Espanha, Bélgica, China, Coreia, Japão, Colômbia, Peru e Canadá. Um super evento que apoia e incentiva e formenta a leitura e ideias.

Da última vez que fui na Bienal (há dois anos, já que é um evento que é realizado alternando ano entre São Paulo e Rio de Janeiro, e ano passado, para a minha infelicidade, não deu para ir ao Rio.), literalmente, sai com uma pequena mala de livros. Impossível não aproveitar. Esse ano vou a Bienal de novo, mas tentarei me conter... Apesar de que eu espero, sinceramente, uma belas promoções de livros (assim como foi em 2011 no Rio, que teve livros da Editora Record por 5 reias! Aff! Não me conformo... E não eram qualquer livro, não! =S).

Apesar da programação cultural estar bem legal (Confira aqui!), não achei que teremos muitas grandes novidades com relação autores internacionais  de romances juvenis  (YA) e best-seller, que editoras se encarregam de trazer para promover lançamentos. Talvez, a grande atração para os jovens leitores seja a escritora Cecily Von Ziegesa, autora dos livros da série Gossip Girl da Editora Record. Outros nomes de peso também estarão presentes, entre autores de renome, artistas e palestrantes. Sem contar com o apoio que devemos dar aos novos talentos da literatura nacional, que a blogofesra literaria ajuda a incentivar e divulgar.

Fiquem de olho nas programações das Editoras e nas novidades e lançamntos que elas estarão promovendo. Há muita novidades para encher nossos olhos, muitos para fazer a gente passar vontade. Todas estão postando nas suas redes sociais, como no Facebook e no Twitter, informações da programação geral que irão realizar. 

Enfim, listinha de compras, encontros programados, uma pequena malinha, um sorriso escancarado no rosto e “pernas para que te quero”... Tudo pronto? Tudo OK? Então, bora para a Bienal!!! :D

Vou à Bienal no sábado (11/08) e no próximo, muito provavelmente, no dia 18.

Fonte e para mais informações: http://www.bienaldolivrosp.com.br/ (No site você também pode encontrar os acessos para as redes sociais do evento.)  
Pessoal, aproveitem bastante a Bienal!

É isso... Até mais!!! ^.^v
Leia Mais ►

Amor à Primeira Mordida, de Kathy Love

| 7 comentários

Maratona de Banca 
Mês: Julho 
Tema: Sobrenatural 

O tema do mês para o Maratona de Banca é Sobrenatural. Um universo repleto de criaturas fantásticas e sombrias, da fantasia mais mágica aos pesadelos mais terríveis. E em um romance romântico, essas criaturas do submundo ganham um novo viés, quando há uma tórrida paixão envolvendo um vampiro, ou lobisomem, ou anjo desviado, ou fantasma... E por ai vai! E, apesar da onda de livros YA lançados dentro do mote ter enjoado muita gente, eu não deixo de ler, especialmente, os de banca. Uma leitura sempre divertida. =)  

Para a leitura, eu escolhi Amor à Primeira Mordida, da autora Kathy Love. Uma autora muito apreciada pelas fãs dos gêneros. Pelo título já sacaram que é vampiresco, não é?! Bem, um romance descontraído, leve e romântico. Foi publicado pela Nova Cultural, em 2009, na série Bianca – Romance Místicos, nº 900.

Amor à Primeira Mordida 
Kathy Love 

Um vampiro arrependido e que busca alguma forma de redenção...

Christian Young, arrependido pelos seus atos passados, resolveu se colocar em exílio e buscar uma maneira de redimir seus piores feitos no passado. Para se reabilitar, ele segue um programa de 12 passos para se tornar quase um humano e não voltar acometer atrocidades. Ele simplesmente desistiu de ser um vampiro. Foi morar em um bairro pobre irritante, num estacionamento de trailer, em Shady Fork, onde não tinha contato com nenhum dos vizinhos... Até quando ouviu gritos estranhos e viu sua vizinha da frente em perigo, e a salvou!

Jolee Dugan é uma jovem que também foge do seu passado, que sempre parece retornar para perturbá-la. Pobre, para ter alguma chance na vida, tenta abrir um bar. Sua vida acaba mudando completamente quando conhece Christian, seu bizarro e isolado vizinho que parece um modelo com as roupas caras que usa e a beleza deslumbrante. Havia algo de muito errado com seu viznho, já que ele parecia deslocado naquele lugar.

Christian sente logo uma atração por Jolee. E ela por ele. Ambos tenta se manter afastados  um do outro. Para Christian, uma relação com uma mortal jamais daria certo.  Para Jolee, aquele cara era muito estranho. Ele enxerga nela um meio de se redimir e descide ajudá-la.  Juntos, tentaram superar o passado. 


***

Amor à Primeira Mordida tem todas as características que me levam a adorar ler um romance de banca: leitura rápida, ideal para de descontrair, divertido, personagens fortes e carismáticos, romântico e sim, uma paixão caliente! Hahah E muito engraçado. 

Bem, eu não diria que o amor entre Christian e Jolee surgiu à primeira mordida, mais em uma situação muito mais tensa. Tensa, sobretudo, para o nosso vampiro bizarro e arrependido, que segue uma lista de 12 passos para se tornar humano. Sim, um vampiro que quer se tornar mais humano! E pasmem: ele tem um blog sobre isso! O.o Ele faz o típico herói fragilizado por um passado que o destruíu, muitas vezes, um pouco confuso, mas não deixando do ter aquele lado “gracinha” e cavalheiresco que fazem as leitoras suspirar. E Jolee, nossa pobre mocinha, que também não tem uma vida fácil, é a salvação para o nosso herói. Um superclichê romântico, com um lance de romance entre espécies! rsrs.  

Esse é o segundo volume de uma série muito boa, Young Brothers, que possui 4 livros lançados. Antes de ler esse segundo, é imprescindível ler o primeiro, Memórias de um Vampiro (Skoob), para ficar por dentro da história. Também muito bem-humorado! Christian foi o vilão no volume anterior, o que torna interessante notar essa transação de vilão para mocinho... Só lendo para perceber!

Não tenho muito que dizer da história, apenas que para quem gosta do tema vai se divertir. E quem não gosta muito, pode se arriscar e acabar gostando também. Então, fica a dica!!! =)

Classificação: 


 

Trecho de Amor à Primeira Mordida:
Christian fechou e trancou a porta do trailer. 
Aquilo era loucura! Estava nervoso por causa de uma mortal? Não podia ser! 
Ele caminhou até a janela e olhou para o trailer da frente. Todas as luzes estavam acesas. Poderia voltar lá, se quisesse. 
Para quê? Fazer amizade? O que poderia ter em comum com uma mulher mortal? Havia desistido das habilidades de vampiro para reinventar-se, para deixar de ser o Christian Young que... 
Não. Não queria fazer amizade com humanos. Tudo bem, o Passo Onze sugeria: Fazer Contato. Mas já escrevia no blog. E esse era um contato mais do que suficiente. 
Ele se afastou da janela. Precisava se concentrar no plano. Aproximou-se do refrigerador. Devia ter sentido o cheiro do sangue humano, e agora estava faminto. Talvez devesse aumentar um pouco as porções de sangue. Sim, era isso. 
Christian leu a lista na porta do refrigerador. "Passo Três: Você deve aceitar que tem um problema, e depois encontrar uma forma de lidar de maneira construtiva com esse problema". 
Mas você não sentiu o impulso de beber o sangue da­quela mulher. Ele caminhou pela cozinha. Sentira vontade de tocá-la, de beijar os lábios carnudos, e simplesmente não tinha esse tipo de sentimento por mortais! 
Tudo bem, não era tão grave. Devia ter sido um efei­to colateral da dieta alimentar restritiva. Nada sério. E não voltaria a ver Jolee. Nem a falar com ela. Ofendera-a para garantir que não haveria mais encontros. E não perderia tempo sentindo culpa por isso.
Livro da série Young Brothers:
1. Fangs for the Memories (2005) - Memórias de um Vampiro >>> Rhys Young e Jane 
2. Fangs But No Fangs (2006) - Amor à Primeira Mordida >>> Christian Young e Jolee Dugan 
3. I Only Have Fangs for You (2006) - Nas Garras de um Vampiro >>> Sebastian Young e Wilhemina Weiss 
4. My Sister Is a Werewolf (2007) - Sob o Domínio da Lua >>> Jensen Adler e Elizabeth Young

Informações:
Livro no Skoob

__________________________________________________________



Segunda resenha da Maratona de Banca,
Clique aqui para conferir minha lista de livros.
Confira aqui outras participações nesse mês!
Leia Mais ►

Cilada, de Harlan Coben

| 7 comentários


Há um bom tempo que aprecio ler as histórias instigantes e a narrativa fluida e envolvente que Harlan Coben desenvolve em seus livros. Contudo, me espanta saber que nunca realmente postei uma resenha aqui no blog sobre algum de seus livros. Enfim, uma negligência que me permito corrigir agora, na intenção de lhes expor uma de suas histórias, que não foge da característica tão marcante em seu texto, em nos estimular a embarcar em uma trama cheia de reviravoltas, nos mantendo a atenção em suas páginas do começo ao fim. A Cilada (no original, Caught), publicada pela editora Arqueiro, nos apresenta uma deliciosa história de suspense, num jogo de mentiras e verdades, de segredos alarmantes e revelações surpreendentes.



Cilada 
Harlan Coben
Famílias e pessoas, que levam aparentemente uma vida normal, têm seus segredos, relações e fragilidades postos à prova.  

Dan Mercer passou uma infância precária e instável, mudando constantemente de casa e família. Apesar de tudo, conseguiu se formar em uma universidade,  se casar, mesmo que brevemente, e trabalhar como assistente social em um centro comunitário, uma das suas principais realizações. Um cara solitário, admirado e, aparentemente, “gente boa”. No entanto, sua vida muda completamente, ao receber um estranho telefonema de uma adolescente em perigo, e quando vai ao seu encontro com a intenção de ajudá-la, é flagrado por uma câmera de TV e exibido em rede nacional como suspeito de pedofilia.  

A autora dessa “cilada” é Wendy Tynes, uma repórter da NTC News, cujo programa tem por objetivo investigar e desmascarar pedófilos em nível nacional. Levada por uma denuncia anônima, ela arma para Dan.  

Enquanto isso, a família Mcwaid vive, há 3 meses, o drama do desaparecimento da filha mais velha do casal, Harley, uma garota de 17 anos. Aluna e filha exemplar, com o objetivo de estudar e entrar em uma ótima faculdade, nada em seu comportamento leva a crer em uma transgressão ou fuga adolescente. Há uma investigação que envolve toda a cidade, todos temem o pior, mas a família tenta manter uma frágil esperança.  

Dan é inocentado nos tribunais, contudo, começa a ser alvo de atos violentos e perseguições. Ele é amplamente defendido por pessoas que o conhecem e alguns fatos levam Wendy a se questionar sobre suas ações e julgamentos contra ele. Em uma estranha situação, Dan é assassinado por um dos pai s das crianças atacadas, na qual Wendy é a principal testemunha e, possivelmente, responsável indireta por sua morte. Alguns fatos liga o desaparecimento de Harley Mcwaid com Dan Mercer. Caberá a Wendy, movida pelo seu instinto e competência, chegar a verdade. Um mistério delineado por sentimentos de vinganças, culpas e segredos. 


***  
Apesar de gostar, e muito, não sou leitora assídua dos romances policiais. Porém, quando leio, gosto de histórias que envolva muito suspense, tensão, investigações bem elaboradas e intricadas, assassinos astutos e frios e reviravoltas que realmente nos faz pirar. Gosto  de sentir a tensão da história e dos personagens, até mesmo ter meu estomago revirando por uma descrição mais crua e grotesca. Esse não é bem o caso das histórias de Harlan Coben. Suas histórias mantêm o suspense e a tensão, porém são muito mais ágeis, englobando um universo mais psicológico, reflexivo, explorando temas concernentes às questões e conflitos humanos, que envolvem os personagens em seu âmbito pessoal, familiar, social e profissional. Coben abre um pouco a mão do universo puramente policial, para nos permitir mergulhar na vida dos diversos personagens que integram a trama.  

A leitura de Cilada é muito rápida, intensa e surpreendente. Nada é o que parece ser, e somos levados por caminhos e desvios muito diferente daquilo que se apresentou inicialmente. Em um primeiro momento estamos envolvidos em um caso de suspeita de pedofilia, para no desenrolar da trama, ela nos levar para outro caminho totalmente diferente, com cada fato e detalhe, intrinsecamente, ligados um ao outro, culminando em uma conclusão que pega o leitor de surpresa. E apesar da história não ser tão profundamente elaborada, os detalhes fazem todas as diferenças. Quando você pensa que está tudo definido, entra um elemento surpresa que muda tudo. É exasperante! Impossível não admirar a maestria de Coben de mudar e desfazer tudo, de repente, até na última página. Nos prende completamente!  

A vida de cada personagem, suas ações e questionamentos, são partes importantes no detalhamento e na elaboração da história. Dan Mercer é praticamente o foco dos mistérios... Seria ele culpado, ou não, pelo desaparecimento de Harley McWaid? Contudo, a protagonista e aquela cujas ações dão inicio ao descarrilamento de toda a história, é Wendy Tynes, uma repórter de sucesso, que não vai cansar até chegar a verdade. Todos tem algo a esconder, segredos espantosos são revelados. No final, temos um drama policial que envolve fragilidades humanas, sensações de culpas e o apelo ao perdão.  

A narrativa alterna o foco entre os diversos personagens que compõe o drama, expondo a vida, as percepções, os conflitos e as fragilidades de cada um Harlan Coben é sempre uma leitura mais que bem recomenda para quem gosta de ler suspenses ágeis, inquietante e instigante. Um quebra-cabeça de segredos e reviravoltas até o fim. Enfim, leiam Harlan Coben! Leiam Cilada!  

É isso! Até mais! =)
Classificação: 


 
Trecho de Cilada:  
EU SABIA QUE MINHA VIDA SERIA destruída se abrisse aquela porta vermelha.
Isso pode parecer melodramático e de mau agouro. Não sou lá muito chegado a nada disso. Além do mais, verdade seja dita: não havia nada de ameaçador naquela porta. Ela era absolutamente comum, dessas que a gente vê em quase todas as casas dos bairros de classe média, com a pintura já meio desbotada, quatro almofadas de madeira, maçaneta imitando bronze e, mais ou menos à altura do peito, uma aldrava sem qualquer utilidade. 
No entanto, enquanto eu caminhava em direção a ela sob a luz débil de um poste distante, a escuridão parecia se abrir como uma boca prestes a me devorar inteiro. Era impossível afastar a sensação de perigo iminente. Cada passo me custava certo esforço, como se eu estivesse pisando não em uma calçada já um tanto gasta, mas em cimento fresco. O corpo dava todos os avisos: frio na espinha, pelos eriçados nos braços, arrepio na nuca e no couro cabeludo. (Dan Mercer, p. 7)
Informações: 

Referência: COBEN, Harlan. Cilada. Tradução de Marcelo Mendes. São Paulo: Arqueiro, 2010. 272 p.
Leia Mais ►

Caixa de Distrações #16 || Animação: The Story of the Book

| 2 comentários

Caixa de Distrações é uma seção aqui no blog onde vou postar alguns extras e curiosidades sobre livros, leituras, capas, personagens, booktrailers, quotes, filmes e tudo mais que sair dessa caixa para distraí-los um pouquinho.
Essa é uma das seções que mais gosto e hoje tem um video bem legal para todos aqueles que gostam de livros e história. =)
No Facebook, em uma das postagens realizada pelo Goodwill Librarian (que sempre traz algo legal sobre o mundo dos livros), vi essa animação francesa muito bacana. É um filme curto, em stop motion, que conta a história de um bibliotecário que tinha uma grande paixão por livros, mas que não suportava a ideia de ter um livro ele não podesse conhecer. Ele trabalha em uma Biblioteca Real. Um dia, o rei lhe chama e o nomeia como guardião de uma sala secreta, onde é mantido em segurança um dos livros mais preciosos e “do mau” do mundo todo...

O filme é uma criação de Delphine Burros, postado no Vimeo por seu Diretor de Fotografia, Robert Lyons. O video é francês, com legendas em inglês, mas dá para entender. 

Distraia-se com essa história bem interessante! rs.

Sinistro, né?! O.o

Moral da história: Bookaholic cuidado! Nossa paixão e curiosidade obsessiva por livros podem nos colocar em uma bela encrenca! kkkkk 

Como diz o ditado... “A curiosidade matou o gato!” No caso, o livro aprisionou o bibliotecário que não deveria tê-lo aberto! 

Espero que tenham gostado!

É isso... Até mais pessoal! ^.^v
Leia Mais ►

Deslembrança, de Cat Patrick

| 11 comentários


Toda a noite, ao dormir, ela esquece tudo o que ocorreu no passado, para sonhar e se lembrar de acontecimentos que vão se concretizar no futuro. O tema soou tão diferente do que normalmente leio em romances juvenis, que decidi arriscar uma leitura  que poderia ter sido interessante com Deslembrança (Forgotten, no original inglês). Primeiro romance da autora americana Cat Patrick, publicado pela Editora Intrínseca, aborda um romance juvenil leve, ágil e despretensioso.

Deslembrança
Cat Patrick


Esquecer-se do passado, para apenas lembrar-se do futuro... Por mais estranho que seja essa situação, London Lane, uma jovem de 16 anos, sabe bem como é isso...  

Toda noite, após dormir, ela esquece-se de tudo o que vivenciou até aquele momento. Tudo o que sobra na manhã seguinte são lembranças de pessoas e de acontecimentos que estão por vir. Uma vez que elas acontecem, se perdem para sempre em suas memórias. Para continuar a sua vida normalmente, ela escreve bilhetes para si mesmo com alguns fatos que marcaram seu dia. Isso lhe permite dar continuidade a sua vida, ou mesmo avisá-la de algo que precisa ser feito. Aliás, ela só reconhece as pessoas que estão à sua volta, pois, de alguma forma, estas estão presente em seu futuro. 
  
Uma lembrança perturbadora e incomoda sombra a mente de London e tudo o que ela pode fazer é esperar acontecer... Um funeral de alguém que ela não conhece... Inquieta, ela percebe que precisa buscar respostas para decifrar os mistérios que envolvem essa lembrança. E para embaralhar (ou dar um “up”) ainda mais sua vida, chega Luke Henry, o novo garoto do colégio que se interessa por ela, mas de quem ela não tem nenhuma lembrança do futuro. Todo ela precisa conhecê-lo novamente...  

Passado, presente e futuros se confundem em sua busca por respostas... Afinal, qual é o sentido de tudo isso em sua vida?

***
 Deslembrança tem uma história bem “fofa” de ler, apesar de não ser nada excepcional e, honestamente, achei algumas situações bem pouco convincentes mesmo para um romance tão imaginativo. Uma protagonista que lida com os seus “problemas” com naturalidade e um garoto mais do que apaixonado, que formam um par romântico bem bonitinho. Cat Patrick criou um romance simples, rápido de ler. Apesar da sinopse nomeá-lo como um thriller psicológico, o que soou bastante demasiado após a leitura da história, não há um drama exagerado, ou alguma tensão sombria para nos manter no suspense, como ocorre nos romances sobrenaturais.  

Narrado em primeira pessoa, conforme segue a leitura, fica claro no livro como London lida com todo esse “problema”. No entanto, para alguns fatos sobre as causas da amnésia e as lembranças do futuro, não há nenhuma explicação concreta, deixando tudo pouco palpável. Então, esquece capítulo, e mais capítulos de descrições e explicações sem necessidades. O leitor terá que ter sensibilidade e deduzir por si mesmo algumas lacunas deixadas na história, inclusive o final. Aliás, senti falta de uma conclusão mais consistente, tudo acontecendo muito rápido, ficando pontas soltas.

 Quanto aos personagens, eles são legais... London tem uma autoconfiança incrível e sua “perda de memória” não a limita em nada, muito pelo contrário... e Luke é uma gracinha! 
  
Um bom romance! Traduzido em diversas línguas, já tem seus direitos vendidos para a produção de um filme. Segundo a autora, esse livro é filho único! Não há nenhuma continuação prevista, o que é um alívio para o bolso. (rs.) Todavia, a sensação que tive ao terminar a leitura foi de que autora tinha muitas, e muitas, possibilidades de explorar e aprofundar o seu romance, porém preferiu deixar tudo muito simplório, muito superficial... Uma ótima ideia perdida! Porém, quem sabe, um roteirista competente não traduza melhor essa ideia em uma linguagem cinematográfica, heim?!   

Com uma linda capa (confesso, comprei esse livro pela capa! =P), Deslembrança é sim uma leitura para se distrair e deixar algumas ideias rolarem solta. Para quem gosta de um romance juvenil bem fofo, fácil leitura e sem muita profundidade, fica a dica! Leiam Deslembrança! =)
Classificação: 
 



Um trecho de Deslembrança: 
- Acho um pouquinho estranho, sim. Mas gosto de coisas estranhas – digo. – O que mais? 
- Não sei, London – diz ele, ficando de lado para me olhar e apoiando a cabeça na mão. Acho que é simplesmente o pacote inteiro. Não consigo decompor você. Simplesmente amo você toda. Acho que sempre amei. 
Pergunto-me o que Luke quer dizer com “sempre” enquanto ele passa a mão em meu rosto e ficamos em silêncio por um momento. Isso não parece encaixar muito bem, mas não quero estragar o clima, então digo: 
- Eu também amo você todo. 
As palavras são pesadas e sinceras, e acho que as de Luke também foram. E, curiosamente, apesar do peso, eu me sinto leve. Parece fácil.  (p. 142)

Informações:
Skoob do livro

*PATRICK, Cat. Deslembrança. Tradução de Lívia de Almeida. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2012. 254p
Leia Mais ►
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Status

Conteúdo Protegido!!!

Livros e Distrações (2010). Tecnologia do Blogger.

  © Livros e Distrações 2010 - 2011

Back to TOP